CAMPINAS - SP

Rua Arlindo Carpino, 20 - Taquaral

13077-101

relacionamento@cristalfilmes.com

+55 19 3252.8537

November 5, 2019

September 4, 2019

Please reload

POSTS RECENTES

TIMELAPSE, HYPERLAPSE OU STOP MOTION?

2 Oct 2017

Existem diversas técnicas para criar filmes que prendam a atenção do espectador. Nas redes sociais, a dinâmica muda um pouco, mas muitas técnicas ainda são as mesmas usadas nas telonas, apenas reinventadas para os vídeos rápidos que circulam hoje.

Neste post, vamos diferenciar três técnicas que muitas vezes se confundem e que podem ser muito úteis em vídeos pessoais ou empresariais.

 

TIMELAPSE

Timelapse é uma prática muito usada que impressiona na mesma medida em que exige trabalho e paciência.

Antes de tudo, é preciso entender que timelapse, hyperlapse e stop motion são técnicas diferentes (que serão tratadas em outros posts aqui no blog).

No timelapse, são agrupadas várias fotos tiradas em sequência, geralmente com intervalo de 15 segundos entre elas, mas os parâmetros podem variar dependendo do resultado desejado e do tempo estipulado para a captação das imagens, de forma que em ambientes abertos a luz varia e pode haver necessidade de alteração das configurações pré-estipuladas.

 

Por quê fazer um timelapse?

A estética obtida na técnica em geral costuma ser hipnotizante! Em ambientes com muitos vídeos, como a timeline do Facebook por exemplo, um timelapse pode acabar prendendo a atenção de um usuário que desliza a tela inicial distraidamente. Além disso, também transforma imagens estáticas em algo dinâmico, podendo trazer mais vida e movimento à apresentação de uma fachada de um prédio, parque, qualquer ambiente aberto.

Em vídeos, a dinâmica e o ritmo são essenciais para manter o público preso, de forma que o timelapse remete a uma passagem de tempo rápida, podendo muito bem ser utilizada para associar a imagem de uma empresa, por exemplo, à atualidade, ao acompanhamento de seu tempo, à modernização.

 

Um vídeo transpassa sempre uma visão e inevitavelmente a leva ao espectador. Então, uma outra perspectiva de um mesmo assunto é sempre algo a acrescentar.

Aqui, colocamos o exemplo de uma aventura por paisagens na Noruega, gravada em 4K:

 

 

HYPERLAPSE

Você provavelmente já viu alguma cena de filme ou vídeo pela internet contendo uma cena acelerada. É o hyperlapse!

Há alguns anos o Instagram lançou o aplicativo para dispositivos móveis, o que popularizou bastante o uso dessa técnica de vídeo.

Ela consiste basicamente em acelerar a velocidade de uma cena filmada. É muito interessante a ideia e o uso é muito fácil, mas é importante observar questões como o som, que quando acelerado, faz com que as vozes percam o tom normal e, obviamente, a velocidade da fala também. Assim, é sempre importante ter alguma música de fundo em mente, a não ser que o som acelerado faça parte da narrativa.

 

Por quê fazer um hyperlapse?

Acelerar vídeos pode ser uma chave para passar impressão de passagem de tempo rápida, mas como tudo, é importante saber moderar a frequência de utilização.

O hyperlapse pode ser muito adequado principalmente para empresas de viagem, atrações turísticas e restaurantes. Mostrar rapidamente um ambiente, fazer um tour rápido por algum circuito desejado são boas maneiras de explorar a técnica.

Sua empresa é ágil, dinâmica e criativa? Seu produto é muito fácil de usar? Você quer contar uma história rápida em alguma rede social? Quer exemplificar o serviço que oferece em segundos? Talvez o hyperlapse seja uma ferramenta visual interessante para mostrar isso!

 

Neste exemplo, temos um passeio acelerado por Nova York:

 

 

STOP MOTION

Stop motion é uma das maneiras mais criativas e leves de se contar uma história, fazendo com que objetos criem vida. Acrescentando um ar divertido ao vídeo, a ferramenta está bastante na moda, acompanhando a tendência das passagens de tempo mais rápidas e a possibilidade de inserção de GIFs em praticamente todas as redes sociais mais usadas no momento.

A técnica de animação pode ser muito útil na criação de uma dinâmica diferente de passagem de tempo. Existem filmes inteiros feitos em stop motion, como "A noiva Cadáver", de Tim Burton.

 

Por quê fazer um stop motion?

Num geral, stop motions são muito agradáveis de se ver, ainda mais em looping! Curtinhos, de fácil e rápida assimilação, são bastante eficientes para anunciar um produto novo, por exemplo, mostrar possibilidades de combinações do seu produto ou apresentar uma receita.

 

Neste exemplo, temos um gif de um livro se mexendo sozinho. Poderia ser um dos populares vídeos de "unpacking", em que a pessoa abre uma caixa de promoção, um produto sendo experimentado pela primeira vez, enfim, o que sua imaginação permitir! E aí, animou?

 

 

Please reload

SIGA-NOS!